Site da USP
Fale conoscoFacebook

Menção honrosa no Prêmio CAPES de Tese 2017 para o trabalho de Júlio Chiquetto

Dr. Júlio Chiquetto, à direita, recebe Menção Honrosa em Prêmio CAPES de Tese 2017

A tese Intitulada “A distribuição espacial da concentração de ozônio troposférico associada ao uso do solo na região Metropolitana de São Paulo“, defendida por Júlio Barbosa Chiquetto em agosto de 2016, sob a orientação da Prof.ª Dr.ª Maria Elisa Siqueira Silva, docente da USP e do PPGF, recebeu menção honrosa no Prêmio Capes de Tese 2017, no dia 10 de outubro.

A pesquisa conduzida por Júlio Chiquetto, com colaboração da Profª Drª Rita Yuri Ynoue (Departamento de Ciências Atmosféricas do IAG-USP), mostrou que mais que aumentar áreas verdes, diminuir a quantidade de veículos nas ruas é o melhor caminho para combater a poluição do ar em grandes metrópoles. O autor analisou as concentrações de ozônio e outros poluentes em diversos pontos da Região Metropolitana de São Paulo para avaliar como diferentes superfícies (urbanas ou vegetais) e a quantidade de veículos nas ruas interferem na poluição do ar. A pesquisa foi desenvolvida em duas etapas: na primeira, Chiquetto avaliou dados de qualidade do ar de estações de monitoramento da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) e os comparou com o solo dos entornos. Na segunda etapa, o pesquisador usou um software para simular o comportamento da atmosfera concebendo diversos cenários de alteração na emissão de poluentes e na cobertura da superfície como, por exemplo, retirando 80% das emissões veiculares na área urbana total da Região Metropolitana de São Paulo. Os resultados mostraram que as estações com mais atividade urbana apresentam mais poluentes primários e menos concentrações de ozônio. Tal configuração se inverte em regiões residenciais e afastadas dos centros, onde há mais áreas verdes: menos poluentes primários e mais ozônio. Desta forma, Júlio concluiu que a construção de um parque urbano tem potencial de reduzir as concentrações de poluentes primários e melhoria nas condições ambientais com maior umidade no ar, mas potencialmente pode acarretar em aumento local das concentrações de ozônio. Assim, para a melhoria da qualidade do ar, há que se diminuir a quantidade de carros nas ruas. Isso só pode ser conseguido com uma melhoria significativa da rede do transporte público e foco em transportes que não emitem poluentes, como a ciclovia e o metrô.

A tese de Júlio tem grande potencial para subsidiar políticas públicas e de saúde. O trabalho completo pode ser consultado no site Teses USP.

Matéria sobre este trabalho pode ser lida no site da FFLCH.