A ascensão da área de atuação socioambiental

O Brasil precisa se preparar para a onda de empregos verdes

A sustentabilidade corporativa é uma tendência para os próximos anos. Estudos como os da Organização Internacional do Trabalho enfatizam que em 2030 há expectativa de geração de 15 milhões de empregos na América Latina, onde o Brasil terá papel de destaque nessa conjuntura.  

Sobre os empregos verdes, um levantamento feito pelo Escritório de Desenvolvimento de Carreiras da Universidade de São Paulo demonstra que atualmente existe demanda por profissionais da engenharia, física e geografia. Além disso, a psicologia ambiental e biologia são apostas para expansão profissional nesse nicho.  

No caso da geografia, por exemplo, as pessoas que não querem seguir na academia encontram espaço no agronegócio, biocombustíveis, energia, papel / celulose e saneamento. 

Mesmo quem já se formou há mais tempo e está trabalhando nessas formações ou em outras diferentes, podem se inserir nos empregos verdes, na medida em que “profissionais nem sempre precisam mudar o curso que estão estudando ou o que já estudaram para se adaptarem a essas novas exigências. Trata-se de enxergar as grandes áreas de atuação de cada profissão que são demandadas pelo mercado e ampliar a visão do que se pode fazer”, afirma Tania Casado, diretora do ECar e professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP. 

Por Ricardo da Silva Domingos

Fontes: 

https://www.estadao.com.br/infograficos/economia,pesquisa-da-usp-indica-as-11-profissoes-verdes-mais-requisitadas-pelo-mercado,1117400

https://www.estadao.com.br/infograficos/economia,quem-faz-o-que-faco-nao-fica-desemprego-diz-geografa,1117410