Grupo de Estudos de Demografia Médica (GEDM)

 

O Grupo de Estudos de Demografia Médica (GEDM) iniciou seus trabalhos em 2010 e está vinculado ao Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), sob a coordenação do Professor Mário Scheffer.

Membro da Rede Observatório de Recursos Humanos (ObservaRH) da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS) e do Ministério da Saúde, o GEDM integra esforços do campo de conhecimento da Saúde Coletiva para estudos e planejamento da força de trabalho em saúde.

A Demografia Médica considera características dos médicos como idade, gênero, especialização, trabalho e distribuição, assim como as políticas voltadas à formação, oferta e inserção dos profissionais no sistema de saúde . Também considera o funcionamento dos subsistemas de saúde público e privado, as realidades epidemiológicas e demográficas,  as demandas do Sistema Único de Saúde (SUS), e as necessidades e a situação de saúde da população.

Para isso, são utilizados métodos mistos de pesquisas quantitativos e qualitativos, multidimensionais e multicêntricos, como a consulta a distintas fontes secundárias, como bancos de dados administrativos de conselhos de medicina, entidades médicas, governos, empregadores e serviços de saúde, além de fontes primárias, como censos populacionais e inquéritos com médicos, estudantes de medicina, médicos residentes e recém-formados.

Parte dos estudos conta com o apoio institucional do Conselho Federal de Medicina (CFM) que viabiliza a edição, a cada dois anos, do relatório de pesquisa “Demografia Médica no Brasil”.

Os estudos também são viabilizados por meio de editais públicos e convênios, como do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) , da OPAS e do Ministério da Saúde.

O GEDM tem parcerias acadêmicas com centros de pesquisa nacionais – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Universidade Federal do Maranhão;  e internacionais (Queen Mary University of London; Universidad Miguel Hernández, e  Harvard University, Programa de Cirurgia Global e Mudança Social).

Os estudos têm aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

A produção técnica e científica do GEDM, que iniciou a execução do ProvMed 2030 em janeiro de 2020, pode ser conferida aqui.