Divulgadores de ciência devem enfrentar grupos que disseminam fake news

A pandemia de covid-19 alterou a rotina das pessoas em todo o mundo, e não poderia ser diferente com os divulgadores de ciência. No atual contexto, está havendo um maior consumo desse tipo de informação? E como lidar com o desafio de fazer eventos sobre o tema, voltados para o público leigo, sem o contato face a face? Para discutir essas questões, o USP Analisa exibe a partir de hoje um especial em dois programas com a editora de Ciências do Jornal da USP Luiza Caires e com o coordenador do Pint of Science no Brasil e também coordenador de projetos educacionais do Instituto Questão de Ciência Luiz Gustavo de Almeida. 

Para Luiza, o consumo de produtos de divulgação científica cresceu durante a pandemia, porém quem busca informação, principalmente sobre saúde, pode estar mais suscetível a notícias falsas. “Saúde sempre foi vamos, dizer assim, um carro chefe para fake news porque é uma coisa que afeta muito a vida das pessoas. E essa comunicação de fake news que é viralizada entre familiares, vizinhos, conhecidos, ainda é a maior concorrente para quem produz conteúdo sério”.

Luiz acredita que em ciência, ao contrário do jornalismo, nem sempre se deve ouvir opiniões contrárias, como no caso de grupos que são contra as vacinas. Para ele, é preciso haver um enfrentamento maior desses grupos. “Uma conclusão a que chegamos em um ciclo de estudos realizado no ano passado foi que as pessoas têm acesso à informação, então não é esse o motivo da ignorância, de você não conhecer os fatos, não reconhecer as evidências. Hoje, 99% das pessoas tem acesso às informações na palma da mão. Acho que um outro jeito da divulgação científica ajudar nesse combate às fake news é não mostrar só a beleza da ciência, que é super importante, mas a gente também tem que começar a bater de frente com esses grupos”, diz ele.

A primeira parte da entrevista vai ao ar pela Rádio USP nesta quarta (20), a partir das 18h05, com reapresentação no domingo (24), a partir das 11h30. O programa também pode ser ouvido pelas plataformas de streaming iTunes e Spotify. O USP Analisa é uma produção conjunta do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP e da Rádio USP Ribeirão Preto.

VOCÊ PODE GOSTAR ...