Docentes discutem entraves ao protagonismo das mulheres na ciência

O protagonismo das mulheres na ciência brasileira foi mapeado recentemente pelo projeto Open Box da Ciência, financiado pelo Instituto Serrapilheira. Entre as 250 pesquisadoras de maior destaque listadas pela iniciativa estão seis professoras da USP Ribeirão Preto. Para discutir os desafios que as cientistas enfrentam para permanecer na carreira, o USP Analisa conversou com duas delas: a professora da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Carla Ventura e a professora da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto Elaine Del Bel. 

Na primeira parte da entrevista, que vai ao ar nesta semana, elas falam sobre a necessidade de construção de uma nova representação da mulher na sociedade, que atualmente tem um caráter mais passivo e submisso. Segundo Carla, isso se reflete, por exemplo, dentro da própria área de Enfermagem. “A maioria das enfermeiras é de mulheres. Mas em posições de liderança, nos conselhos regionais, você tem uma grande maioria de homens. Então isso é uma discussão que a gente faz: o que será que acontece com essa jovens, com essas enfermeiras que estão se graduando, que impede que elas tomem essa posição e assumam cargos de liderança?”, questiona.

Elaine destaca a existência de uma espécie de teto de vidro, uma barreira que impede o crescimento das mulheres. Um dos fatores que contribui para isso é a própria maternidade. “Somos nós que carregamos os filhos. Eu sempre brinco com as minhas alunas: o filho é seu, é da mulher. Porque ainda, na nossa cultura, é difícil dizer que você vai dividir o filho. Todos nós sabemos do preconceito que existe quando se contrata uma pessoa. É mulher? Jovem? Ah, você pode ficar grávida, são seis meses de licença”, diz ela. 

O programa vai ao ar nesta quarta (29), a partir das 18h05, com reapresentação no domingo (3), a partir das 11h30. O programa também pode ser ouvido pelas plataformas de streaming iTunes e Spotify. O USP Analisa é uma produção conjunta do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP e da Rádio USP Ribeirão Preto.

VOCÊ PODE GOSTAR ...