Grupo do IEA-RP realiza conferência sobre o medo do crime

Dando sequência às atividades do Ciclo de Debates em Criminologia Experimental e Segurança Pública, o Grupo de Pesquisa em Criminologia Experimental e Segurança Pública,  do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP (IEA-RP/USP) organiza no dia 4 de março, às 14h, o evento: “Cinco años de investigación experimental sobre miedo al delito”. 

O evento será on-line, com transmissão pelo canal do IEA-RP no YouTube e pelo perfil do Instituto no Facebook. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas clicando aqui. Haverá certificado para os participantes mediante o preenchimento de formulário que será disponibilizado no chat durante a transmissão.

O palestrante será Francisco Javier Castro Toledo, professor de Direito  Penal  e Criminologia do Departamento de Ciência Jurídica e pesquisador  do  Centro de Investigación CRÍMINA para el estúdio y prevención de la Delincuencia, da Universidade Miguel Hernandez (Espanha). A palestra será em espanhol.

Castro Toledo apresentará como, após mais de meio século, as pesquisas criminológicas têm demonstrado um crescente interesse na análise do medo do crime. Mas, desde sua definição até a representação de suas dimensões, passando pela detecção de fenômenos associados ou o estabelecimento das metodologias mais apropriadas para sua medição, o que realmente é o medo do crime tem resistido a qualquer tentativa de redução, conceituação ou operacionalização, que tenha um amplo consenso. Isso resultou em sua atual falta de definição, a enorme dificuldade para sua medição científica e sua natureza poliédrica.

Levando em consideração essa caracterização tríplice, será analisado como a crise do medo do crime, enquanto constructo criminológico, não é tanto uma crise ontológica mas uma crise metodológica com escopo ontológico. E, em comparação com as estratégias tradicionais de pesquisa focadas em medidas autorreveladas, a atualidade  apresenta  excelentes oportunidades para melhorar a compreensão sobre a natureza desde fenômeno, à luz das metodologias de abordagem experimental das  emoções que oferecem as novas tecnologias. 

Neste sentido, serão apresentados três estudos empíricos fundamentados na coleta de indicadores emocionais em tempo real que mostram a grande utilidade que tem, para a investigação do medo do crime, a biometria emocional nos modelos de investigação UX ou a simulação de experiências de vitimização e cibervitimização por meio da realidade virtual.

A moderação será realizada pelo coordenador do grupo, o docente da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto da USP e do Programa de Integração da América Latina da Universidade de São Paulo (Prolam-USP), Eduardo Saad-Diniz. A coordenação do evento é do professor Eduardo e da professora, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da USP , Ruth Estêvão.

Mais informações sobre o evento: iearp@usp.br

VOCÊ PODE GOSTAR ...