Letalidade da COVID-19 é baixa, mas não desprezível, diz especialista

A COVID-19, doença provocada por um novo tipo de coronavírus, chegou ao Brasil trazendo bastante preocupação às autoridades de saúde. Para esclarecer as principais dúvidas sobre ela e discutir como o sistema de saúde está se preparando para um possível surto, o USP Analisa exibe a partir desta semana uma entrevista com o professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP Benedito Antônio Lopes da Fonseca.

Ele explica que existem sete tipos de coronavírus atualmente em todo o mundo, mas quatro deles causam basicamente um resfriado. Apenas o SARS, que apareceu na China em 2002, o MERS, relatado no Oriente Médio em 2012, e agora o SARS-COV-2 podem causar sintomas mais graves.

“No caso do SARS-COV-2, o que a gente pode esperar é que a maior parte, em torno de 80%, das pessoas vai ter uma manifestação mais leve. As pessoas que vão evoluir para um quadro grave e mesmo para o óbito são uma parte muito pequena. Isso é importante salientar, porque quando se fala do coronavírus, todo mundo fala do óbito. A letalidade dele é baixa, mas não é desprezível”, diz ele.

Para o professor, a decisão do Ministério da Saúde de antecipar a campanha de vacinação contra o vírus Influenza, que causa a gripe comum, vai ajudar no atendimento aos casos de COVID-19.

“Se adiantar a vacinação contra a Influenza e se nós tivermos uma ampla cobertura, o que que vai acontecer? Chega um paciente no pronto-atendimento com as manifestações respiratórias que podem ser gripe ou coronavírus. Sabendo que ele foi imunizado contra influenza, eu vou prestar bastante atenção no sentido de fazer o diagnóstico do coronavírus. E se eu diminuir o número de gripes, vai sobrar mais leitos para os casos graves de coronavírus. Então é importante a vacinação. Essa medida do ministério é adequada e as pessoas que estão ouvindo devem se vacinar, sim”, destaca Benedito.

A primeira parte da entrevista vai ao ar nesta quarta (18), às 18h05, com reapresentação no domingo (15), às 11h30, e também pode ser ouvido pelas plataformas de streaming iTunes e Spotify. O USP Analisa é uma produção conjunta do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP e da Rádio USP Ribeirão Preto.

VOCÊ PODE GOSTAR ...