Recurso identifica amigos em contato com conteúdo antivacina

As redes sociais são cada vez mais presentes em nosso cotidiano, porém essas ferramentas que deveriam incentivar a aproximação e a interação das pessoas estão servindo como fonte de desinformação sobre diversos temas. As vacinas são um dos alvos preferenciais dessas informações falsas. Estudo da Avaaz e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) apontou que 7 em 10 brasileiros acreditam em algum conteúdo falso sobre vacinação. Preocupados com as consequências disso, os integrantes da União Pró-Vacina criaram um recurso que permite verificar quais amigos no Facebook estão em contato com as páginas que mais geram desinformação sobre vacinas. Ele está disponível no endereço bit.ly/antivaxno.

São quatro links que mapeiam os amigos do usuário expostos a esse conteúdo enganoso. As páginas responsáveis por ele foram identificadas pelo estudo As Fake News estão nos deixando doentes?, divulgado em novembro pela Avaaz e pela SBIm. Segundo os integrantes da iniciativa pró-vacina de Ribeirão Preto, o objetivo desse mapeamento é incentivar o diálogo e o compartilhamento de conteúdo baseado em evidências científicas e em fontes confiáveis sobre a importância da vacinação para a saúde de toda a sociedade.

Os efeitos das informações falsas sobre vacinas na população brasileira começam a produzir consequências graves. De acordo com dados do Programa Nacional de Imunizações, a taxa de cobertura vacinal geral no Brasil caiu de 95%, em 2015, para 71%, em 2018. Doenças que até então tinham sua incidência controlada, como o sarampo, estão voltando a fazer vítimas. Segundo a OMS, em 2018 10 milhões de pessoas foram infectadas pela doença e 140 mil morreram, sendo a maioria crianças com menos de cinco anos e não vacinadas. 

Mas o crescimento das ações de vacinação contra o sarampo mostrou que a informação é uma arma bastante eficaz. Embora até outubro deste ano a cobertura vacinal para a tríplice viral [vacina que protege contra sarampo, caxumba e rubéola] estivesse em torno dos 57%, um boletim divulgado pelo Ministério da Saúde no dia 13 de dezembro mostrou que o País ultrapassou a meta esperada de cobertura vacinal contra o sarampo, chegando a 99,4% do público-alvo.

Sobre a União Pró-Vacina

A União Pró-Vacina é uma iniciativa organizada pelo Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP em parceria com o Centro de Terapia Celular (CTC), o Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias (CRID), os projetos de divulgação científica Ilha do Conhecimento e Vidya Academics, e o Gaming Club da FEA-RP.

O objetivo é unir instituições acadêmicas e de pesquisa, poder público, institutos e órgãos da sociedade civil para combater a desinformação sobre vacinas, planejando e coordenando atividades conjuntas durante todo o ano de 2020, explorando as potencialidades de cada instituição participante.

Entre as ações que serão realizadas estão: produção de material informativo; intervenções em escolas, espaços públicos e centros de saúde; eventos expositivos; combate às informações falsas; e desenvolvimento de games.

Instituições, grupos e associações interessados em integrar a iniciativa e colaborar com os projetos podem entrar em contato pelo e-mail iearp@usp.br.

VOCÊ PODE GOSTAR ...