Palestra “A arte de tecer a carreira: reflexões pelo olhar do cinema”

O cinema estimula uma imaginação simbólica que pode nos mostrar que a carreira não é linear, uma vez que ela vai se tecendo ao longo das experiências vividas.

É comum as pessoas criarem personas profissionais de si mesmas. Nesse sentido, às vezes idealizamos demais o roteiro de nossas carreiras e não nos preparamos adequadamente para enfrentar os dilemas que podemos encontrar no meio do caminho. Por essa razão, Rafael Rodrigues de Souza trouxe 7 filmes que nos ajudam a refletir sobre a carreira a partir da análise de personagens impactantes do cinema recente, são eles: “O poderoso chefão”; “Erin Brockovich: uma mulher de talento”; “Que horas ela volta?”; “Homens de honra”; “O parasita”; “Viva. A vida é uma festa” e “Um lugar qualquer”.  

É Interessante observar que esses filmes exploram conflitos existentes nas carreiras contemporâneas e possivelmente a principal mensagem que todos eles pretendem deixar é a de que não somos apenas protagonistas de nossas carreiras, pois assumimos outros papéis no decorrer da trajetória profissional. Dessa forma, também somos antagonistas, diretores, produtores e roteiristas. Isso quer dizer que quando adquirimos realizações, dignidade financeira e conseguimos proporcionar doação ao mundo, o lado protagonista de nós mesmos torna-se  evidente.   

Assista abaixo: