Essa página contempla as convidadas do ASTROMINAS 2021, que contribuíram com palestras, rodas de conversa e trajetórias de vida!

Drª Adriana Alves

   Graduada em Bacharelado em Geologia pela Universidade de São Paulo (USP) e doutora nas áreas de Mineralogia e Petrologia também pela Universidade de São Paulo (USP), com período sanduíche na University of Alberta. Suas linhas de pesquisa são relacionadas a petrologia ígnea, geotectônica, geoquímica isotópica e análise textural quantitativa. Atua principalmente nos seguintes temas: datação u-pb, granitos crustais, geoquímica elemental, geocronologia e microssonda eletrônica.

Drª Adriana Válio

   Graduada em Física pela UNICAMP, com mestrado em Astronomia pela USP e PhD em Astronomia pela University of California at Berkeley (EUA). É livre-docente pela Universidade de São Paulo. Pós-doutorados no California Institute of Technology e na UNICAMP. Foi presidente e tesoureira da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB). Professora pesquisadora do Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie (CRAAM) e coordenadora do curso de pós-graduação em Ciências e Aplicações Geoespaciais da Universidade Presbiteriana Mackenzie. É também Coordenadora da área de Astronomia da FAPESP desde 2016 e membro do Comitê Assessor do CNPq na área de Física e Astronomia. Realiza pesquisa em astronomia, com ênfase em atividade solar e estelar o impacto interação na habitabilidade dos planetas em órbita.

Aline Montenegro

   Graduanda em Geofísica do IAG/USP, realiza pesquisa em Sismologia também no IAG e no Observatório Sismológico (UnB). É cofundadora e Diretora Geral do ElaSTEMpoder, organização social que visa incentivar a participação de mulheres em STEM. Foi medalhista em olimpíadas científicas no ensino médio e uma das primeiras brasileiras a participar do International Astronomical Youth Camp (IAYC). Em 2021, foi selecionada como Fellow Voices That Inspire, do Vital Voices Global Partnership, para integrar uma rede de mulheres da América Latina comprometidas com a igualdade de gênero em suas comunidades.

Drª Amanda Gonçalves Bendia

   Graduada em Ciências Biológicas, Mestrado em Biofísica pela UFRJ e Doutorado em Microbiologia pela USP. Atualmente é pós-doutoranda e professora colaboradora no Instituto Oceanográfico da USP. Sua pesquisa envolve estudar micro-organismos em ambientes extremos, principalmente na Antártica e nas profundezas dos oceanos. Seu interesse é entender como esses micro-organismos podem nos ajudar na busca de vida fora da Terra, uma área da ciência chamada Astrobiologia. Participou de quatro expedições científicas para a Antártica e de expedições oceanográficas para a exploração da vida microbiana no mar profundo. É membro do conselho e coordenadora de Educação e Divulgação Científica da APECS-Brasil, uma associação de jovens pesquisadores polares. Ama dedicar seu tempo à divulgação científica através de cursos e palestras para crianças, jovens e adultos.

Drª Ana Carolina Souza Ramos de Carvalho

   Possui graduação em Ciências Biológicas, Modalidade Médica pela Universidade de Santo Amaro (2000) e doutorado em Biotecnologia pela Universidade de São Paulo (2008). Atualmente é mestranda da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Astrobiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: microbiologia de leveduras selvagens na aplicação em astrobiologia no contexto de exploração espacial.

Mª Ana Paula Castro de Paula Nunes

   É engenheira aeroespacial, formada pela Universidade de Brasília (UnB) e mestre em Direito e Política Espacial pela Beihang University, na China. Já trabalhou como estagiária no Escritório das Nações Unidas para Assuntos do Espaço Exterior e fez parte de um projeto de pesquisa como astronauta de simulação no projeto EuroMoonMards. Atualmente trabalha na Space Forge, uma startup aeroespacial no Reino Unido. Uma de suas áreas de interesse é a sustentabilidade das atividades espaciais e como essas tecnologias podem melhorar a vida na Terra.

Drª Andréa Teixeira Ustra

   Graduada em Física pela UNICAMP e especializada em Engenharia Ambiental, mestra e doutora em Geofísica pelo IAG/USP. Durante a pós-graduação pesquisou sobre o uso dos métodos geofísicos em investigações de áreas contaminadas pela disposição de resíduos urbanos e derramamentos de hidrocarbonetos. Em seu doutoramento, foi aluna visitante do grupo de geofísica rasa da Rutgers University (EUA) por seis meses. Em seus três projetos de pós-doutorado na USP, desenvolveu pesquisas relacionadas à Biogeofísica e ao Magnetismo Ambiental, sempre focada em aplicações ambientais. Atualmente Professora Doutora do Departamento de Geofísica do IAG/USP e Coordenadora da Central Multiusuário USPMag da USP, sua pesquisa aplica a geofísica a grandes questões ambientais que envolvem a qualidade dos solos, do ar e águas subterrâneas.

Drª Arianna Cortesi

   Estudou Astronomia na Universidade de Bolonha (Itália) e obteve o grau de doutora na Universidade de Nottingham (Reino Unido). Fez seu primeiro pós-doutorado no IAG/USP e atualmente é pós-doutora no Observatório do Valongo, no Rio de Janeiro. Estuda a evolução das galáxias, explorando suas diferentes cores e formas, a fim de entender como elas se formaram e qual é a ligação entre os diferentes tipos de galáxias. Também faz parte das pesquisas S-PLUS, J-PAS e CANGA.

Drª Bárbara Amaral

   Graduada em Física pela Universidade Federal de Minas (UFMG), com mestrado e doutorado em Matemática pela mesma instituição, é professora do Departamento de Física Matemática do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP). Fez estágio-sanduíche na Universitat Autònoma de Barcelona e estágio de pós-doutoramento no Instituto Internacional de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Barbara trabalha na área de Fundamentos da Teoria Quântica e Contextualidade e Não-Localidade em Teoria Quântica.

Drª Beatriz Barbuy

   Graduada em Física pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), é doutora em Astrofísica pela Université Paris Diderot, em Paris. Atualmente é professora titular do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo, atuando principalmente nos seguintes temas: espectroscopia, diagrama cor magnitude, aglomerados globulares, síntese de populações e evolução estelar. É membro da Academia Brasileira de Ciências, Academie des Sciences e Third World Academy of Sciences (TWAS), é vice-presidente da União Astronômica Internacional (IAU) e uma das cinco ganhadoras do Prêmio L’Oréal-Unesco 2009 para Mulheres na Ciência. Foi considerada pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009.

Beatriz Zacarias

   Aluna de último ano do Bacharelado em Astronomia na Universidade de São Paulo. Faz iniciação científica na área de Astronomia Observacional, trabalhando na detecção de objetos variáveis. Seu interesse pela ciência teve início ainda no ensino médio quando participou da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Ao ingressar na faculdade teve a oportunidade de participar de um projeto de extensão no qual pode trabalhar e se apaixonar pela divulgação científica.

Drª Camila Negrão Signori

   Professora do IO-USP, atuando na área de Oceanografia Microbiana. É graduada em Oceanografia (UERJ), mestre em Biologia/Zoologia (Museu Nacional) e doutora em Microbiologia (UFRJ), com doutorado sanduíche no Woods Hole Oceanographic Institution, onde foi pesquisadora visitante. Realizou pesquisas de Pós-Doutorado no IO-USP e foi premiada com Diane Poehls Adams - Early Career Award e Scientific Committee on Antarctic Research. Participou de expedições científicas, incluindo 5 embarques à Antártica e um mergulho nas profundezas do Pacífico. Colabora em projetos de pesquisa e ensino, orientando alunos nas áreas de Oceanografia Microbiana e Cultura Oceânica. Coordena o MicrOcean Lab, além de projetos de ensino, como o Educação Ambiental Marinha e o Mergulho na Ciência USP.

Mª Carolina de Assis

   Astrônoma e Mestre em História das Ciências Técnicas e Epistemologia pela UFRJ. Desde 2014, é a astrônoma da Fundação Cecierj, sendo responsável pela coordenação das atividades do Planetário do Museu Ciência e Vida. No museu, desenvolve atividades nas áreas de teatro de temática científica e acessibilidade, coordenando os projetos “O Essencial é Invisível aos Olhos” e “Tecendo Estrelas”. Já como pesquisadora em Astronomia, pesquisa na área da Astronomia Cultural e Antropologia do tempo, com foco na percepção de tempo, astronomia e calendários das civilizações do período Clássico, sobretudo da Civilização Maya.

Drª Cecil Chow Robilotta

   Bacharel em Física e Mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo; PhD em Física Médica pela Royal Postgraduate Medical School da Universidade de Londres; especialista em Física de Medicina Nuclear pela Associação Brasileira de Física Médica. Foi pós-doc em tomografia por emissão no Service Hospitalier Frédèric Joliot, Orsay, e no C.H.U. Pitié-Salpêtrière, Université de Paris VII, Paris, ambos na França, e pesquisadora visitante no Imaging Centrum Utrecht - University of Utrecht, Utrecht, na Holanda. Atualmente é professora sênior e membro da comissão coordenadora do Laboratório de Demonstrações Ernst Wolfgang Hamburger do Instituto de Física da USP. Sua área de pesquisa é em processamento de imagens médicas, em especial, reconstrução tomográfica e quantificação em SPECT e PET, tendo colaborado extensivamente com o Centro de Medicina Nuclear e o Instituto do Coração do HC-FMUSP. Foi consultora em física de Medicina Nuclear na Agência Internacional de Energia Atômica, com participações em auditorias, treinamentos e publicações técnicas, assim como na Comissão Nacional de Energia Nuclear e ANVISA, na elaboração de normas e recomendações em Medicina Nuclear. Além da Física Médica, participa de dois projetos de extensão da USP, Arte e Ciência no Parque do IF e Saberes em Diálogo do DG da FFLCH, que realizam atividades de divulgação científica em escolas públicas, exposições e eventos científicos, assim como treinamentos continuados de professores de física e ciências.

Drª Christine Bourotte

   Francesa, formada em geologia pela Universidade de Aix-Marseille e veio ao Brasil em 1997 para fazer doutorado no Instituto de Geociências da USP. É docente da USP desde 2009 primeiro na EACH e depois no IGc. Sempre gostou de ciências e desde criança colecionava minerais e rochas. Coleciona areias que são objeto de pesquisa e de divulgação em Geociências em projetos de extensão que desenvolve no IGc. Trabalha também na área de Geoquímica urbana com pesquisas voltadas para a transferência de poluentes e materiais particulados entre compartimentos ambientais e é pesquisadora do Nucleo de Apoio a Pesquisa em Patrimônio Geológico e Geoturismo onde desenvolve atividade de divulgação e pesquisas sobre a percepção da Geodiversidade.

 

Drª Cibelle Celestino

   Graduada em Física pela USP (1993), mestre e doutora pela UNICAMP, na área de História da Física; pós-doutorado no Grupo de História e Teoria da Ciência (UNICAMP). Foi Dibner Library Resident Scholar no Smithsonian Institution (2004-2005) e Visiting Research Fellow no The Bakken Museum (2014), ambos nos EUA. Assessorou o projeto HIPST - History and Philosophy in Science Teaching: An European Project (2008). Foi diretora do IHPST e da Associação de Filosofia e História da Ciência do Cone Sul (AFHIC). Coordenou o Observatório Dietrich Schiel do Centro de Divulgação Científica e Cultural da Universidade de São Paulo; hoje coordena o curso de Licenciatura em Ciências Exatas da USP-São Carlos. Sua pesquisa é em história e ensino de física. É mãe do Theodoro, de 9 anos.

Drª Clarisse Goulart

   Professora adjunta do Instituto de Humanidades e Letras da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB/Bahia) e pesquisadora do Fempos/UNILAB (Pós-colonialidade, feminismos e epistemologias anti-hegemônicas) É mestre e doutora em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais e graduada em Relações Internacionais pela PUC Minas. A autora tem contribuído com os estudos e debates sobre o feminismo na América Latina, especialmente sua relação com o Estado, a atuação dos órgãos de políticas para as mulheres e a trajetória dos movimentos de mulheres na região. Atualmente, tem se debruçado sobre o tema da prostituição, especialmente a partir das regulações institucionais e de suas conexões com a teoria política e teoria feminista.

Drª Cláudia Lúcia Mendes de Oliveira

   Graduada em Física pela UFMG, fez mestrado e doutorado em Astronomia na University of British Columbia. É professora titular do Departamento de Astronomia do IAG/USP desde 2009. É conhecida pelos seus trabalhos em grupos compactos e fósseis e pelo estudo da cinemática interna de galáxias, além de atuar em instrumentação astronômica. Realizou pós-doutorado no Institut d'Astrophysique de Paris e foi fellow do ESO, no Chile. Foi professora visitante no Universitaets-Sternwarte Muenchen, no Max-Planck-Institut, na Universidad de La Serena, e na University of Florida. Representou o Brasil no Comitê Científico Internacional do SOAR, no Comitê Diretor do Gemini, é representante da FAPESP no Comitê Diretor do GMT e lidera o projeto S-PLUS. É membro, desde 2020, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e da Academia Brasileira de Ciências.

Drª Cristina Leite

   Licenciada em Física, mestre em Ensino de Ciências e doutora em Educação, pela USP. Atualmente é docente do IF/USP na área de Ensino de Física. É orientadora do Programa de Pós-graduação Interunidades em Ensino de Ciências da USP. Foi professora em Escolas Públicas e Privadas da Cidade de São Paulo e no IFSP. Integrou a equipe de redatores da Base Nacional Comum Curricular de Ciências da Natureza para o Ensino Fundamental e Médio. É a coordenadora do curso de Licenciatura em Física da USP. É membro da Comissão de Pesquisa em Ensino de Física da SBF e é coordenadora do Programa Residência Pedagógica da Física da USP. Foi agraciada em 2018, pela Ordem Nacional do Mérito Educativo com o grau: Cavaleiro da Ordem, pelas contribuições na educação.

Drª Daniela Borges Pavani

   Física e Astrônoma, Doutora em Ciências pela UFRGS, é profª Associada do Departamento de Astronomia do Instituto de Física da UFRGS e pesquisadora nas áreas de Astronomia/Astrofísica, Educação e Divulgação Científica. Neste campo se dedica a pensar as diversidades culturais, etnico-raciais e de gênero na educação em ciências assim como a formação docente e a relação entre Universidade e Escola através da extensão e divulgação científica. Integra o Programa PIBID/UFRGS. É orientadora colaboradora do PPG Ensino de Física do IF/UFRGS. Coordena os Programas de Extensão do IF/UFRGS "Observatório Educativo Itinerante/OEI", "Aventureiros do Universo". Fundou e hoje atua como vice-coordenadora do "Meninas na Ciência". É mãe de coração do Thiago, 12 anos, e da Ana Luiza, de 6 anos, filha gestada no ventre e no coração.

Drª Daniela Cardozo Mourão

   Professora na UNESP, no Departamento de Matemática do Campus de Guaratinguetá/SP, bacharel em Física na UNESP em Rio Claro/SP, mestre em Física pela UNESP em Guaratinguetá/SP e doutora em Engenharia e Tecnologia Espaciais no INPE. Possui pós-doutorado pela UNESP. Atuou na UnB como professora visitante junto ao Instituto de Física. Trabalha com o Grupo de Dinâmica Orbital e Planetologia nas áreas de dinâmica de: satélites, anéis planetários, meteoros e manobras orbitais. Leciona Programação de Computadores para Engenharias, Física e Matemática. Na UNESP, fez parte da Comissão para Implementação do Nome Social, do Grupo de Prevenção à Violência, do Projeto “Educando para a Diversidade” e foi membro do conselho consultivo do Observatório de Educação em Direitos Humanos.

Drª Daniela Lazzaro

   Formada em Astronomia pela UFRJ, com mestrado e doutorado pela USP e pós-doutorado no Observatório de Paris. Desde 1983, é pesquisadora do Observatório Nacional e, atualmente, vice-presidente da União Astronômica Internacional. Desenvolve pesquisas voltadas para um melhor entendimento da formação e evolução do Sistema Solar por meio do estudo das propriedades físicas de pequenos corpos. Coordena o grupo de ciências planetárias do ON que através do projeto IMPACTON implementou o Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica, em PE. Tem dado grande ênfase à formação de recursos humanos qualificados na área, assim como ao estímulo para que meninas ingressem na área de ciências exatas (Projeto Garotas no ON).

Drª Denise Bacci

   Graduada em Geologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), mestra e doutora em Geociências e Meio Ambiente também pela UNESP. É pós-doutora em Engenharia Mineral pela POLI-USP e na Faculdade de Educação na área de Didática das Geociências e Formação de Professores. Atualmente é Professora associada do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo. Suas áreas de pesquisa são: Mineração e Meio Ambiente e conflitos socioambientais. Também é pesquisadora do Laboratório de Pesquisa GovAmb (Governança Ambiental), do GEPEFE (Grupo de Estudos e Pesquisas em Formação de Educadores) e do NAP GeoHereditas.

Drª Denise Rocha Gonçalves

   Graduada em física pela UFPR, é mestra e doutora em Astronomia pela USP. Como pós-doutora e visitante fez pesquisa em instituições, como: Instituto de Astrofísica de Canarias; University College London; ALMA Group of the National Astronomical Observatory of Japan. Atualmente é membro International Union of Pure and Applied Physics (IAU) e dos levantamentos internacionais S-PLUS, J-PLUS e J-PAS. É responsável pelo projeto Gemini RAMSES II que realiza a contagem de estrelas simbióticas em galáxias anãs. Em 2021, fez parte do JWST Time Allocation Committee. É bolsista de produtividade do CNPq e professora associada do Observatório do Valongo. Sua atuação tem ênfase nas fases finais da evolução estelar – nebulosas planetárias e simbióticas e abundâncias químicas.

Drª Dinalva Sales

   Graduada em Matemática pela Univap, mestrado em Física e Astronomia pela e doutorado em Física pela UFRGS. Além disso, foi NASA Postdoctoral Fellow no Rochester Institute of Technology e fez pós-doutorado da FAPERGS/CAPES na linha de fomento a bolsas Especiais Institucionais: DOCFIX, desenvolvendo o projeto na UFRGS. Atualmente é professora adjunta do Instituto de Matemática, Estatística e Física da Universidade Federal do Rio Grande e coordenadora de Bolsas Institucionais da FURG. Entre 2019-2020 foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Física na FURG. Tem experiência na área de Astrofísica, atuando nos seguintes temas: núcleo ativo de galáxia, galáxia em interação, moléculas complexas, espectroscopia e imagiamento. É diretora científica da empresa INOV[ENTER].

Drª Eliade Lima

   Licenciada em Física pela UESB, mestre em Física pela UFABC, doutora em Astrofísica pela UFRGS e com pós-doutorado em Astrofísica pela UFSM. Atualmente é professora do curso Licenciatura em Ciências da Natureza da UNIPAMPA – campus Uruguaiana, sua pesquisa em Astrofísica visa determinar parâmetros físicos e estruturais de aglomerados de estrelas extremamente jovens da nossa galaxia. Atua na divulgação científica da Astronomia para a comunidade, no apoio à entrada e permanência de meninas nas áreas STEM. É membra-coordenadora do grupo Cientistas do Pampa, membra da Sociedade Astronômica Brasileira, da International Astronomical Union, sócia da SBPC, membra do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Prática de Ensino (GIPPE) e integrante do grupo Parent in Science.

Drª Elika Takimoto

   Graduada em Licenciatura de Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestre em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia pela mesma universidade e doutora pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro em Filosofia da Ciência. É professora e Coordenadora de física do ensino médio e técnico do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca. É integrante do grupo de pesquisa Estudos Sociais e Conceituais de Ciência, Sociedade e Tecnologia (UERJ).

Drª Elisabete M. de Gouveia Dal Pino

   É bacharel, mestre e doutora pela USP. Fez pós-doutorado no CfA - Center for Astrophysics da Universidade de Harvard, e no Departamento de Astronomia da Universidade da Califórnia. É professora titular do IAG-USP. Pesquisadora da área de astrofísica, trabalha com dinâmica de gases e fenômenos de altas energias em sistemas que vão do Sol a aglomerados de galáxias, com contribuições pioneiras em teorias de aceleração de raios cósmicos e simulações numéricas magneto hidrodinâmicas de alta performance. Atua como uma das líderes brasileiras na colaboração internacional para construção dos telescópios Cherenkov (CTA). Também é também líder brasileira no Projeto do ASTRI Mini-Array, precursor do CTA, em construção nas Ilhas Canárias. Recebeu em 2017 o Prêmio Cláudia para Mulheres na Ciência e é membro titular da Academia Brasileira de Ciências desde 2020.

Drª Elysandra Cypriano

   Graduada em Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), é mestra e doutora em Astronomia pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é docente no departamento de astronomia do IAG/USP. Parte do doutorado foi desenvolvido no Cerro Tololo Interamerican Observatory (CTIO - Chile) e no telescópio SOAR. Realizou seu primeiro pós doutorado na The Open University, Reino Unido, com bolsa STFC/UK. Atua principalmente como pesquisadora na área de ensino de ciências, uma consequência direta de sua pesquisa é promover ações nacionais para o ensino e divulgação das astronomia para diversos públicos, incluindo a avaliação de sua eficácia.

Ivanice Avolio Morgado

   Aluna de graduação em bacharelado em Física no IF/USP, apaixonada por Astronomia, Educação e Divulgação Científica. Faz iniciação científica, desde 2019, orientada pela Profª Drª Elysandra Cypriano, nos projetos Cecília e ASTROMINAS. Também é professora em cursinho popular, lutando pela popularização do ensino. É integrante do Centro Acadêmico da Física (CEFISMA) e é fundadora e organizadora da revista Supernova feita pelos estudantes do IF/USP.

Mª Izabel Accioly

   É mestre em Antropologia Social pela UFSCar, graduada em Ciências Sociais pela UFC. Pesquisadora do Hybris, Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Relações de Poder, Conflitos, Socialidades da USP/UFSCar. Ministrante do curso Estudos interseccionais em Psicologia Social Crítica: raça, gênero e classe organizado pelo Paralaxe, Grupo Interdisciplinar de Estudos, Pesquisas e Intervenções em Psicologia Social Crítica da UFC. Está engajada em pesquisar, debater e lecionar sobre Relações Raciais e a Branquitude no Brasil. Negra mulher, mãe do Vinícius e feminista interseccional.

Janaína Anjos Melo

   Geofísica formada pela USP nascida na cidade de Santos. Atualmente cursa o mestrado em geofísica na USP com foco em modelagem e inversão da dados magnéticos marinhos e aéreos. Tem como hobby a dança, os livros e as artes marciais. Está em busca de novos aprendizados.

Mª Janine Araujo do Carmo

   Possui graduação e mestrado em Geofísica pela Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Paleomagnetismo, onde tem atuado desde sua iniciação científica, trabalhando principalmente com registros do campo magnético terrestre em rochas sedimentares. Atualmente é aluna de doutorado no IAG-USP, dedicando-se ao campo de espeleomagnetismo, visando compreender o registro do campo geomagnético em espeleotemas e a dinâmica dos minerais magnéticos no ambiente cárstico.

Drª Katemari Rosa

   Graduada em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mestra em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela Universidade Federal da Bahia, mestra em Science Education pelo Teachers College e doutora em Science Education pela Columbia University. Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal da Bahia, e pesquisadora integrante da Sociedade Brasileira de Física. Também é sócia da American Physical Society, atuando no Comitê Executivo do Forum on the History of Physics (2018-2021). Faz parte da American Association of Physics Teachers, na qual integra o Committee for International Physics Education (2018-2021) e é membra da National Organization of Gay and Lesbian Scientists and Technical Professionals e da Associação Brasileira de Pesquisadoras/es Negras/os.

Drª Larissa Takeda

   Cursou a graduação em Física, fez mestrado e doutorado em Astronomia no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas na Universidade de São Paulo. Realiza pesquisas em astrofísica estelar com ênfase em explosões do tipo nova. Além da pesquisa, adora trabalhar com divulgação científica, tendo experiência com o Planetário do Ibirapuera, com o Observatório Abrahão de Moraes, e com eventos como "Meninas com Ciência" da USP, Campus Party, entre outros eventos.

Drª Letícia Strehl

   Possui graduação em Biblioteconomia, mestrado em Comunicação e Informação e doutorado em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua como bibliotecária no Sistema de Bibliotecas da UFRGS há 23 anos, tendo experiência em gestão de projetos em todas as áreas da Biblioteconomia. Desde 2016 é Diretora da Biblioteca Central da UFRGS e coordena tecnicamente as 31 bibliotecas deste Sistema. Dedica-se à popularização de conhecimentos sobre bibliotecas, comunicação científica e literatura escrita por mulheres a partir de palestras e textos, que estão sendo progressivamente reunidos em um site chamado Bibliotecas e Devaneios.

Drª Lucelene Martins

   Professora do IGc/USP, desde 2009. Em 1998, se formou como bacharel em Geologia na mesma instituição. Obteve mestrado (2001) e doutorado (2006) em ciências, pela USP. O principal foco da sua pesquisa é a gênese de granitos e migmatitos, rochas comuns da crosta continental. Esse estudo ajuda a compreender como se formaram grandes cadeias de montanhas há centenas de milhões de anos. Trabalha especialmente com microanálise de minerais, utilizando microssonda eletrônica e laser ablation-ICPMS, equipamentos que permitem obter a composição química dos mais diferentes minerais presentes nas rochas, em uma escala muito pequena. Ultimamente, também se dedica a pesquisa com meteoritos, contribuindo para desvendar o mistério dessas rochas espaciais.

Drª Lúcia Avelar

   Graduada em Sociologia e Política pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestrado e doutorado em Ciência Política pela PUC/SP. Realizou estágio de pós-doutorado no Department of Political Science, Yale University (EUA). Ex-professora da UNICAMP e da UnB. Já foi bolsista Fernand Braudel na European University Institute (Itália) e também em produtividade de pesquisa no CNPq. Trabalha com os temas da democracia e participação política, gênero e política. Atual vínculo institucional: Centro de Estudos de Opinião Pública, na UNICAMP.

Drª Lúcia Isabel da C. Silva

   Bacharel em Psicologia e Doutora em Teoria e Pesquisa do Comportamento, ambos pela UFPA. Professora Associada III do Instituto de Ciências da Educação da UFPA e da Cadeira de Política Educacional, atua na Faculdade de Educação e no Programa de Pós-graduação em Educação da UFPA. Pesquisa sobre o desenvolvimento humano de adolescentes e jovens; violência, risco e proteção na juventude; racismo e relações raciais, gênero e feminismos, além de orientar pesquisas de Pós-graduação nessas áreas. Tem experiência em formação de professores da educação básica, movimentos de Educação Popular, formação sociopolítica de jovens, educadores sociais, mulheres e lideranças de movimentos sociais. Coordena projetos de extensão de Educação Popular e cursinhos populares. É líder do GEPJUV/UFPA e Diretora Regional Norte da REDEJUBRA.

Drª Luciana Ferreira

   É professora universitária, mãe de duas meninas e índia da etnia Tórá, localizada na extensão do Rio Marmelos. É formada em Licenciatura em Física na UFAM. Durante a graduação, participou de projetos de extensão “Casa da física” e das “Olimpíadas de Astronomia”. Possui mestrado na UEA, onde iniciou projetos com formação de professores e orientação de alunos do Ensino Médio no projeto “Ciência na Escola” e trabalhava na secretaria de ensino, como professora de ensino médio. Tornou-se professora universitária e ingressou no doutorado, enquanto trabalhava com a Representação dos Conceitos Físicos para os Indígenas (atuando com os indígenas do alto e médio Rio Negro) e dava continuidade aos projetos com os alunos de Ensino Básico. Atualmente faz complemento de Licenciatura em Pedagogia.

Drª Manuelle Góis

   Graduada em Física Bacharelado pela UESC/Bahia, com mestrado e doutorado em Geofísica pela USP. Pós-doutorado na UnB em Geotecnia Ambiental. Atua em projetos que utilizam a tecnologia IoT para sensoriamento de obras geotécnicas e solos e prototipagem eletrônica. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geofísica Aplicada, atuando principalmente em estudos hidrogeofísicos; geofísica aplicada a áreas contaminadas por derivados de hidrocarbonetos; modelagem petrofísica; sísmica de reflexão e refração rasa; Ground Penetrating Radar (GPR); desenho de aquisição sísmica 2D/3D e pré-processamento sísmico 2D e 3D. Busca constantemente compartilhar os conhecimentos adquiridos com estudantes de iniciação científica e pós-graduação.

Drª Marcia Yamasoe

   Sempre estudou em escolas públicas, desde o ensino fundamental. É graduada em Bacharelado em Física no IF-USP, onde obteve também os títulos de Mestre e Doutora em Ciências. Durante o doutorado, realizou um estágio sanduíche de um ano na NASA Goddard Space Flight Center e mais tarde, voltou para lá num pós-doutorado de seis meses. Atualmente é professora associada do Departamento de Ciências Atmosféricas do IAG-USP. Sua área de pesquisa são os processos radiativos que acontecem na atmosfera, com ênfase em estudar como a poluição e as nuvens alteram o balanço de radiação e as suas consequências para a disponibilidade de radiação solar em superfície no Brasil e sobre o ciclo de carbono na Amazônia.

Drª Maria Assunção

   Graduada em Matemática Aplicada pela Universidade de São Paulo, mestra e doutora em Ciências Atmosféricas pela Colorado State University, SCU. Tem pós-doutorado pela National Aeronautics and Space Administration, (NASA). Atualmente é Professora Titular - Sênior aposentada da Universidade de São Paulo e membro da Academia Brasileira de Ciências, Fellow American Meteorological Society.

Drª Maria Elidaiana da Silva Pereira

   Cearense de nascimento, carioca de criação. Bacharel e licenciada em Física pela UERJ/RJ, mestre e doutora em Física na área de Cosmologia Observacional pelo CBPF/RJ, atualmente é pós doc na Universidade de Michigan/EUA. Faz parte das colaborações Dark Energy Survey (DES), Rubin Observatory Legacy Survey of Space and Time Dark Energy Science Collaboration (LSST-DESC) e do consórcio Cosmic Explorer. Estuda os maiores objetos astronômicos do Universo, os aglomerados de galáxias, através do efeito de lentes gravitacionais. Também estuda aplicações das ondas gravitacionais para a Cosmologia. Em especial, o uso dessas ondas para medir a expansão do Universo. Escreve textos de divulgação no blog Cientistas Feministas e está sempre apoiando iniciativas de diversidade e inclusão na Física.

Drª Marina Hirota

   Professora associada do Departamento de Física da Universidade Federal de Santa Catarina, onde leciona para os cursos de graduação em Meteorologia Engenharias, e pós-graduação em Ecologia. Possui formação acadêmica multidisciplinar com doutorado em meteorologia pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) (INPE), e mestrado e graduação pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) em engenharia de computação e matemática aplicada, respectivamente. Dedica-se a combinar ferramentas matemáticas e computacionais na compreensão mecanicista da dinâmica e resiliência de sistemas vegetação-clima, especialmente na América do Sul tropical, e dos efeitos de perturbações como mudanças climáticas, incêndios e desmatamento, resultando em potenciais alterações na distribuição atual da vegetação. Atualmente, possui projeto de pesquisa nesta linha financiado pelo Instituto Serrapilheira.

Mírian Silva

   Graduada em Matemática Computacional pela UFMG. Hoje é Engenheira de Machine Learning no laboratório de inovação e pesquisa do grupo Experian na América Latina. É também instrutora de projetos no Coursera. Durante a graduação, foi pesquisadora de iniciação científica, o que contribuiu muito para sua trajetória acadêmica e profissional. É interessada nas áreas de Inteligência Artificial, machine learning e que incluem matemática aplicada, fairness (“justiça”) em IA, privacidade de dados e otimização. É colaboradora na comunidade Black in AI, cujo objetivo é aumentar a presença de pessoas pretas em IA. Colabora com ações que promovem a atuação de mulheres em STEM e é cofundadora da comunidade Girls Support Girls Community, cujo objetivo é fomentar a colaboração entre mulheres em STEM.

Drª Nina Hirata

   Graduada, mestre e doutora em Ciência da Computação pelo IME/USP. Desde 2001, é docente no Departamento de Ciência da Computação do IME/USP. Seus interesses de pesquisa estão fortemente relacionados com aprendizado de máquina (machine learning) e visão computacional. Essas técnicas e métodos de aprendizado de máquina são úteis para automatizar parte do processamento de dados necessário em problemas que envolvem análise de dados. Também participa de diversos projetos de pesquisa, envolvendo imagens astronômicas, imagens de plâncton (microorganismos aquáticos), imagens médicas (tomografia de pulmão) e outras, unindo aprendizado de máquina e processamento de imagens para facilitar a tarefa de análise dessas imagens.

Mª Paola Bueno

   Bacharel e Mestre em Meteorologia pelo IAG/USP, onde atualmente realiza sua pesquisa de doutorado focada no estudo das variabilidades climáticas e seus impactos no clima brasileiro com o uso de ferramentas de Machine Learning. Atua como pesquisadora no Grupo de Estudos Climáticos (GrEC) do IAG/USP, onde trabalha desenvolvendo produtos, relatórios e apresentações de monitoramento e previsões climáticas para todo o Brasil. Também trabalha como redatora do site tempo.com, escrevendo semanalmente sobre temas relacionados à meteorologia, mudanças climáticas e meio-ambiente, além de se empenhar em outras atividades e projetos de divulgação científica.

Drª Patricia Cruz

   Formada em Física (Mackenzie) e mestra em Astronomia (IAG/USP). Obteve seu título de Doutora em Astrofísica pela Universidad Autónoma de Madrid (UAM/Espanha). É pesquisadora postdoc “Atracción de Talento” no grupo do Observatório Virtual Espanhol (SVO) do Centro de Astrobiologia (CAB/INTA-CSIC), em Madri. É também membro do Observatório Virtual Brasileiro (BraVO). Atua na área da Astrofísica Estelar, trabalhando com a caracterização de estrelas de baixa massa, sistemas binários e exoplanetas. É divulgadora científica e atua em diversos projetos, como a publicação de textos de sua autoria na página AstroParsec (www.astroparsec.com) e a tradução autorizada pela NASA do “Astronomy Picture Of the Day” em redes sociais (APOD Brasil). É co-criadora do projeto de capacitação de professores “Girls InSpace nas escolas”, além de ser “mentee” no programa da UNOOSA chamado SPACE4WOMEN.

Drª Rachel Albrecht

   Graduada, mestra e doutora em Meteorologia pela USP. Foi pesquisadora do CICS-MD da NOAA/Univ. Maryland e do CPTEC/INPE. Hoje é docente do Departamento de Ciências Atmosféricas do IAG/USP e coordenadora do LabNuvens. Sua pesquisa e ensino são em observação e modelagem numérica dos processos de formação e desenvolvimento de tempestades. Seus estudos têm ênfase na eletrificação de tempestades severas e convecção tropical, principalmente na Amazônia, usando os resultados para o entendimento dos processos físicos e aplicações em previsão imediata (nowcasting) de tempo. É co-presidente do Nowcasting and Mesoscale Working Group da Organização Meteorológica Mundial e membro do time científico do sensor Geostationary Lightning Mapper do satélite GOES-16 e participa das missões TRMM e GPM da NASA.

Drª Raquel S. Nascimento

   Graduada e mestre em Física pela Universidade Estadual de Santa Cruz e doutora em Astronomia pelo Observatório do Valongo da UFRJ. Atualmente é pós-doutoranda pelo Laboratório Nacional de Astrofísica e atua na área de Astrofísica Extragaláctica com ênfase nos temas: evolução de galáxias e grupos, estudos de aglomerados em interação, análise de subestruturas em aglomerados de galáxias e estudo de galáxias com atividade nuclear recente. Também atua no suporte ao escritório do telescópio SOAR no Brasil. Além de astrônoma, é mãe do pequeno Filipe de 2 anos e 7 meses.

Drª Renata Constantino Barrella

   Formada em Oceanografia e doutora em Geofísica pelo IAG/USP, fez dois pós-doutorados no Brasil e atualmente é pesquisadora do grupo de geofísica polar no Lamont-Doherty Earth Observatory – Columbia University (NY/EUA). Sua pesquisa tem foco em mapear o fundo oceânico sob plataformas de gelo utilizando informações do campo de gravidade terrestre. Participou do projeto Operation Icebridge da NASA, no qual sobrevoou a Antártica para coleta de dados. Fez uma especialização em divulgação científica pela ECA/USP e publicou uma coleção de livros infantis na área de ciências da Terra e do Universo. Na área de ensino, foi tutora e educadora no Curso de Licenciatura em Ciências da USP.

Drª Rose Clívia Santos

   Graduada em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), é mestra e doutora em Física-Cosmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte também. Além disso, possui pós-doutorado no IAG-USP, com bolsa do CNPq e FAPESP. Atualmente é Professora Doutora de Física da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Adjunto IV. Tem experiência na área de Relatividade Geral e Cosmologia, com ênfase, principalmente nos testes cosmológicos associados a diferentes fenomenologias, dentre eles: a distância de luminosidade, o diâmetro angular de objetos distantes, emissão em Raios-X dos aglomerados de galáxias e a idade de objetos velhos em altos redshifts.

Drª Selma Isabel Rodrigues

   Graduada em Tecnologia Mecânica pela FATEC. Mestrado, Doutorado e Pós-doutorado em Geofísica pela USP. Atuou como pesquisadora na Empresa Tec3GEO; professora na Escola Municipal de Astrofísica e na Prefeitura de Barueri; tutora e educadora no Curso de Licenciatura em Ciências da USP. Atualmente desenvolve estudos geofísicos para auxiliar a análise do sistema radicular e processos de auto-otimização que possam evitar a queda de árvores urbanas. Também é voluntária no Projeto Cecília e ASTROMINAS.

Drª Silvana Giuliatti

   Graduada em Física (Bacharelado) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1989), Mestrado em Física Aplicada à Medicina e Biologia pela Universidade de São Paulo (1993). De 1994 a 1997 frequentou o Imperial College de Londres, St Mary ́s Medical School, desenvolvendo seu projeto de doutorado. Obteve o título de Doutorado em Física Aplicada à Medicina e Biologia pela Universidade de São Paulo (2000). Obteve o título de Livre-Docência (2015) pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP e atualmente é Professora Associada da Universidade de São Paulo junto ao Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, FMRP-USP. Coordena o Grupo de Bioinformática (GBi) e tem como principal linha de pesquisa Bioinformática Estrutural. Orienta alunos de pós-graduação no Programa Interunidades de Pós-Graduação em Bioinformática (USP) e no Programa de Pós-Graduação em Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP).

Drª Silvia Winter

   Graduada em Licenciatura em Física na UNESP, mestrado pelo ITA na área de Mecânica Celeste e doutorado em Londres no Queen Mary College pertencente a Universidade de Londres. Durante quatro anos estudou tudo que seria interessante para trazer ao Brasil sobre sistemas de anéis planetários, que é sua verdadeira paixão. Ao retornar, foi contratada pela UNESP Guaratinguetá. Trabalha há mais de 25 anos no Departamento de Matemática ministrando aulas de matemática para os cursos de Engenharia, Física e Matemática, e de Dinâmica Orbital no curso de Pós-Graduação. Faz pesquisa no estudo da evolução orbital de anéis planetários, pequenos satélites, partículas de poeira, e recentemente está começando uma área nova que é a formação de satélites. Tem apreço pela área de divulgação científica. Quanto aos seus hobbies, adora ler, Gabriel Garcia Marques e José Saramago são seus autores favoritos, ouvir música clássica, esportes e filmes.

Drª Sonia Guimarães

   Graduada em Licenciatura Ciências - Duração Plena pela UFSCAR, é mestra em Física Aplicada pelo IFQSC/ USP e doutora (PhD) em Materiais Eletrônicos - The University Of Manchester Institute Of Science And Technology. Atualmente é Professor Adjunto III do DCTA/ITA. Tem experiência na área de Física Aplicada, com ênfase em Propriedade Eletróticas de Ligas Semicondutoras Crescidas Epitaxialmente, atuou principalmente nos seguintes temas: crescimento epitaxial de camadas de telureto de chumbo e antimoneto de índio por difusão, processamento, obtenção e caracterização de dispositivos fotocondutores e sensores de radiação infravermelha. Professora de Física Experimental do 1º e 2º anos das engenharias. Tem experiência na área de Ensino de Física aplicando a Metodologia de Aprendizagem Baseada em Problemas/Projetos – ABP (PBL em inglês), utilizando as ferramentas computacionais: Tracker, Arduíno e Mathematica. E de Ensino de Física Experimental para Engenheiros, com ênfase em ensiná-los a escrever artigos científicos. Palestrante nos temas: incentivo às meninas para optarem por ciências exatas, tecnologias e engenharias em suas carreiras, sobre a revolução digital e as profissões do futuro. Luta contra o racismo e descriminação de gênero, e palestras motivacionais para quem está sendo vítima desses crimes. Membra da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros - ABPN, do Grupo de Trabalho Minorias em Física da Sociedade Brasileira de Física - SBF, Conselheira Fundadora da AFROBRAS, ONG mantenedora da Universidade Zumbi dos Palmares, Conselheira do Conselho Municipal Para a Promoção de Igualdade Racial - COMPIR, da prefeitura da cidade de São José dos Campos.

Drª. Suzana Salém Vasconcelos

   Graduada em Física pela Universidade de São Paulo (USP). É mestra em propriedades de núcleos específicos e doutora em reações nucleares e espalhamento (reações específicas, ambas na área de Física Nuclear Experimental pelo Instituto de Física da USP. Atualmente é professora da Universidade de São Paulo e desenvolve projetos na área de Espectrometria de Massa no Laboratório de Instrumentação e Partículas (LIP) do IFUSP.

Taisa Oliveira

   Aluna do Bacharelado em Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG/USP). Além da graduação, atua na área de ensino e divulgação de Astronomia desde 2019, como monitora e palestrante no projeto de divulgação científica "Visita ao Departamento de Astronomia" do IAG/USP, voluntária no ASTROMINAS e no projeto MANIA DE ENSINAR, além de associada e voluntária no Clube de Astronomia de São Paulo (CASP) desde 2018.

Drª Tatiana Roque

   Formada em matemática, com mestrado na mesma área, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Fez doutorado em história e filosofia da matemática, com estágio sanduíche na França na equipe REHSEIS (Recherches Épistémologiques et Historiques sur les Sciences Exactes et les Institutions Scientifiques). Tem trabalhado na área de história da ciência e da matemática com aplicações ao ensino. Autora do livro História da Matemática, uma visão crítica desfazendo mitos e lendas (Zahar, 2012), um dos vencedores do prêmio Jabuti de 2013.

Drª Thais Idiart

   Graduada em Física pelo Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é mestre e doutora em Ciências na área de Astronomia pela Universidade de São Paulo (USP). Fez seus pós-doutoramentos no Observatoire de la Cote d’Azur (OCA-França) em atmosferas estelares e na University of Oxford (Inglaterra) em populações estelares de galáxias elípticas. Atualmente é professora doutora do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP, concentrando-se presentemente nos seguintes temas de pesquisa: formação e evolução química da Via Láctea e de galáxias, modelos de datação de galáxias elípticas, populações estelares em diferentes tipos de galáxias e métodos de ensino de astronomia.

Drª. Thaisa Storchi-Bergmann

   Doutora em Física pela UFRGS, pesquisadora 1A do CNPq, com pós-doutorado na Universidade de Maryland e no STScI e estágios sênior no Rochester Institute of Technology e no Harvard/Smithsonian Center for Astrophysics. Chefe do grupo de pesquisa em Astrofísica do IF/UFRGS. É membro da Academia Brasileira de Ciências ABC e da Academia de Ciências do Mundo em Desenvolvimento e presidente da Comissão X1 da IAU - International Astronomical Union, intitulada “Supermassive Black Holes, Feedback and Galaxy Evolution". Ganhou o prêmio internacional L’Oreal/UNESCO Para Mulheres na Ciência e a Comenda da Ordem do Mérito Científico da Presidência da República pelo seu trabalho no estudo de Buracos Negros Supermassivos e sua interação com as galáxias hospedeiras.

Mª Thayse Pacheco

   Formada em Ciências da Natureza com habilitação em Física e ênfase em Astrofísica, é mestra em Ciências e doutoranda em Ciências no IAG/USP. Atua com pesquisa na área de Astrofísica Estelar, com ênfase nos estágios evolutivos finais de estrelas. Atualmente, trabalha com modelos de atmosferas e desenvolve bibliotecas de espectros de estelares. Trabalha com divulgação científica há 10 anos auxiliando em projetos no Clube de Astronomia de Araranguá, Observatório Astronômico da UFRGS e Observatório Abrahão de Moraes. Também faz parte do canal AstroTubers.

Drª Vera Bohomoletz Henriques

   Graduada em Física pela University of Edinburgh. É mestra e doutora em Física pela Universidade de São Paulo (USP) e Professora Associada da USP. Especialista em Física Estatística com aplicações em Físico-Química e Biofísica Molecular. É coordenadora dos projetos de colaboração entre a universidade e a escola pública, com propósito de divulgar e difundir a ciência.

Victoria Malta Pereira de Lima

   Aluna de graduação do quarto ano em Geofísica no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo. Faz parte do Projeto Cecília, desde 2019, e ASTROMINAS, desde 2020, atualmente é bolsista em ambos projetos de divulgação científica, sob supervisão da Professora Elysandra Cypriano. Além disso, fez parte da gestão do Centro Acadêmico do IAG em 2019 e 2020 e atualmente é conselheira. E também é participante ativa do coletivo negro Sonia Guimarães desde 2018.

Mª Yanna Martins Franco

   Participou da Olimpíada Brasileira de Astronomia durante o ensino médio, quando decidiu que seguiria na área. Entrou no bacharelado em Astronomia do Observatório do Valongo/UFRJ e em 2013 começou iniciação científica na área de Astroquímica Experimental. Durante o mestrado e agora no doutorado, sua pesquisa é na área de Astrofísica Extragaláctica, mas ainda com foco em moléculas. Além da pesquisa, é entusiasta de divulgação científica. Acredita que a ciência desempenha um papel muito mais profundo que o entendimento da natureza: ela é um dos alicerces pra construirmos uma sociedade mais justa e crítica. E nesse contexto é essencial que ocupemos nosso espaço: meninas e mulheres na ciências e onde mais quiserem!

Ana Clara de Paula Moreira

   Tem 19 anos, é mineira, estudante de Bacharelado em Física no IF-USP, diretora de redação da revista do Centro Acadêmico da Física e também é bolsista dos projetos de divulgação científica Cecília e Astrominas. Ela acredita que todas as pessoas deveriam ter oportunidade de serem o que quiserem e, como foi aluna de escola pública, sabe bem que isso não é acessível a todos, por isso acredita que a divulgação científica, através de projetos como o Astrominas, é muito importante para levar a ciência para que mais mulheres possam se tornar futuras cientistas!

Catarina Pasta Aydar

   Formada em Física pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo, está finalizando o mestrado em astronomia. Sua pesquisa é focada em núcleos de galáxias, com ênfase para as diferenças entre estrelas e buracos negros. Nascida e criada em São Paulo, gosta muito de organizar e participar de eventos, criando oportunidades de colaboração. Tem interesse por muitos outros temas além de ciência, como debates, dança, feminismo, meditação e arte.

Daniele Honorato Pereira

   Aluna do Bacharelado em Astronomia, no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG-USP). Atualmente desenvolve Iniciação Científica na área de Ensino e Divulgação desde 2019. Atua como bolsista do Projeto Cecília, voluntária no Astrominas, monitora e palestrante no projeto de divulgação científica “Visita Monitorada” do IAG, além de ser mentora do Projeto Vencedor do DESAFIO USP COVID 19, o Conhecimentor, e analista de Mídias Sociais na Feira Brasileira de Jovens Cientistas. Seu papel nos projetos que participa é contribuir para o ensino de Astronomia, democratização da ciência e construção da igualdade de gênero em carreiras de Ciência e Tecnologia.

Gabriela Lopes

   Aluna do 3º ano de Bacharelado em Meteorologia na Universidade de São Paulo. Participa como monitora de projetos de extensão e divulgação científica, Projeto Cecília e Astrominas, desde 2020. Seu encanto pelas ciências exatas começou no 3° ano do ensino médio, quando conheceu a Astronomia e participou da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Desde o primeiro ano, se apaixonou pelas Ciências Atmosféricas e agora busca divulgar e difundir as ciências para outras pessoas.

Izabela Bittencourt

   Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), atua com divulgação científica em Museus e outros espaços de ensino não formal desde 2013. Atualmente é planetarista do Ciência Móvel (museu itinerante da Fiocruz-RJ) e cursa o mestrado em Ensino de Astronomia (IAG/USP) desenvolvendo pesquisas sobre astronomia na cultura indígena para propor uma educação transdisciplinar. Bolsista do Projeto Cecília e Astrominas.

Mª Loreany Ferreira de Araújo

   Graduada em Física pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2017) e Mestre em Astronomia pela Universidade de São Paulo (2020). Atualmente, realiza seu doutorado na mesma universidade, com pesquisa relacionada às Estrelas de Nêutrons, incluindo aspectos de ondas gravitacionais, física nuclear e de partículas e mecânica estatística não extensiva. Além disso, participa de projetos de divulgação científica, acreditando serem necessários para a propagação de um ensino de ciências para todos, principalmente para as meninas e mulheres que ainda não possuem tanto espaço neste campo.