Tiana Kohlsdorf lab

A compreensão dos processos e mecanismos relacionados com a evolução de diversidade fenotípica é uma questão central na área da Biologia Evolutiva. O estudo da forma (e seu funcionamento) integra diversas áreas e agrega diferentes níveis de organização biológica. Enquanto a combinação de informações ecológicas e filogenéticas viabiliza a identificação de padrões fenotípicos durante processos de diversificação, elementos de genética e embriologia contribuem para a compreensão de como os diferentes fenótipos se originaram.

O Laboratório de Evolução e Biologia Integrativa (LEBI/USP) investiga os mecanismos de origem de variantes fenotípicas (desenvolvimento) e seus processos de validação e propagação (seleção, deriva), no estudo da evolução de diversidade fenotípica. Sob essa ótica plural do estudo do fenótipo, investigações acerca dos padrões, processos e mecanismos de evolução de diversidade morfológica e fisiológica são realizadas utilizando representantes de diversas linhagens de animais vertebrados.

O Laboratório de Evolução e Biologia Integrativa (LEBI/USP) está localizado no Departamento de Biologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP), no campus da USP em Ribeirão Preto.

Seus projetos de pesquisa são financiados pela FAPESP, CAPES, CNPq e National Science Foundation (NSF).

O LEBI/USP também é responsável pela gestão da Coleção Herpetológica de Ribeirão Preto (CHRP/USP).

 

 

Palavras-chave: Biologia Evolutiva do Desenvolvimento (EvoDevo & EcoEvoDevo), Ecomorfologia, Ecofisiologia, Morfologia Funcional, Evolução Molecular.