Histórico

O projeto da Rede de Biotérios da USP foi aprovado em 2012, Resolucao CoPq nº 6440, e passou a ser desenvolvido e organizado pela Pró- Reitoria de Pesquisa para inicialmente produzir e distribuir roedores (ratos e camundongos), manter linhagens geneticamente modificadas e realizar controle sanitário e congelamento de embriões. Embora a maioria dos pesquisadores trabalhe com animais convencionais, as unidades integrantes da Rede se prepararam para produzir e distribuir ratos e camundongos com padrão livre de patógenos específicos (SPF), com o objetivo de melhorar a qualidade dos modelos experimentais baseados em roedores. A rede foi iniciada pela agregação de biotérios de quatro diferentes Unidades da USP: Instituto de Ciências Biomédicas, Faculdade de Medicina Campus Pinheiros, Faculdade de Medicina Campus Ribeirão Preto e Prefeitura do Campus de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.